O que leva as pessoas a se envolverem em adultério?

Fonte: pexels.com



O adultério é oficialmente definido como 'atos sexuais entre uma pessoa casada e alguém que não é o cônjuge dessa pessoa'. Cometer adultério é um ato inerentemente controverso e o motivo mais comumente citado para o divórcio. Muitas pessoas têm especulado sobre as raízes potenciais do adultério e o que leva os indivíduos a trair seus cônjuges. No entanto, antes que as causas da infidelidade possam ser examinadas, o próprio ato de adultério deve ser investigado.

Uma Visão Geral do Adultério

Na cultura ocidental, o adultério é fortemente desaprovado e até mesmo ilegal em 21 dos 50 estados americanos. As punições incluem justificação para o divórcio, multas e prisão. No entanto, apesar das violações éticas e possíveis consequências legais, o Statistic Brain afirma que uma quantidade considerável de pessoas cometeu atos adúlteros em um ponto ou outro.



Estatísticas relacionadas ao adultério

57% dos homens casados ​​e 54% das mulheres casados ​​admitidamente foram infiéis aos seus parceiros em um ponto ou outro. Da mesma forma, 22% dos homens casados ​​tiveram casos extraconjugais, assim como 14% das mulheres casadas. Além disso, 17% dos homens e mulheres traíram os seus cônjuges com um cunhado ou cunhada. Em média, os casos amorosos duram dois anos e cerca de 2,5% dos filhos são resultado de um relacionamento adúltero. Finalmente, 74% dos homens e 68% das mulheres admitiram que se envolveriam em infidelidade se soubessem que isso nunca seria descoberto.

Pode-se cometer adultério a qualquer momento e em qualquer relacionamento. Muitas pessoas acreditam que indivíduos casados ​​infelizes são os únicos que cometem adultério; No entanto, isso nem sempre é verdade. De acordo com o Trustify, o adultério tem mais probabilidade de acontecer após dois anos de casamento. Oportunidades de cometer adultério, como viagens relacionadas ao trabalho, aparentemente também aumentam a probabilidade de infidelidade.





Fonte: pexels.com

Tecnologia e adultério

O surgimento da tecnologia também permitiu que os indivíduos cometessem adultério em muitos aspectos e tornou mais desafiador descobrir os culpados. 10% dos relacionamentos adúlteros começam online e 40% desses casos online transcendem para o adultério na vida real. Aplicativos como Facebook, Twitter e Instagram também tornam mais fácil para amantes extraconjugais se comunicarem por meio de mensagens diretas e privadas. Aplicativos que permitem às pessoas ocultar várias chamadas e mensagens de texto também tornam o adultério consideravelmente mais gerenciável do que era no passado.

Muitas pessoas podem ficar chocadas ao saber que não apenas a tecnologia permitiu que as pessoas cometessem adultério, mas também confundiu os limites em relação ao que constitui ou não o ato de adultério. Por exemplo, algumas pessoas vêem o sexting ou o envio de fotos explícitas para alguém que não é o cônjuge de alguém como uma traição; no entanto, nem todos compartilham dessa perspectiva e muitos que o fazem negariam que cometeram adultério com um argumento bastante sólido e, em alguns casos, isso não seria considerado uma base sólida para o divórcio.

Algumas pessoas afirmam e acreditam que, enquanto não houver contato físico, a pessoa não cometeu adultério. É claro que também há debates sobre se as pessoas acreditam honestamente nisso ou simplesmente fazem essa afirmação para justificar a traição de seus cônjuges, apesar de acreditarem que eles são culpados de adultério.



Causas potenciais e prováveis ​​de adultério

Infelicidade conjugal

Fonte: pexels.com

É comum que uma mulher ou um homem casado se envolva em um relacionamento adúltero simplesmente porque está infeliz em seu casamento atual. O marido ou a esposa que traem pode sentir que seu cônjuge não os escuta, deixa de mostrar carinho / atenção ou simplesmente não os ama mais. A maioria das pessoas argumentaria que os motivos acima não justificam a infidelidade. No entanto, a infelicidade conjugal é um dos motivos mais comuns para o cometimento de adultério. Muitas outras causas de adultério derivam da falta de felicidade no casamento do marido ou da esposa infiel ou na relação da mulher casada ou do homem.

Tédio / necessidade de algo novo

Às vezes, o adultério é desencadeado por puro tédio, relata Our Everyday Life. Sem etapas ou mudanças específicas, certos casamentos podem começar a parecer rotinas ou programações. Em vários casos, a mulher ou o homem casado entediado fica insatisfeito com seu casamento familiar previsível e começa a buscar emoção em outro lugar.

No entanto, um cônjuge infeliz nem sempre procura um amante. Às vezes, a mulher ou o homem casado conhece uma nova pessoa. A química potencial ou atração inicial pode excitar o cônjuge insatisfeito, que então decide se envolver em atos adúlteros com essa outra pessoa. Se o relacionamento extraconjugal perdura ou não depois que a paixão e a alegria originais perduram por muitos fatores.

Vingança

Maridos e esposas traidores cometem adultério periodicamente apenas para se vingar de seu cônjuge. Seu desejo de vingança pode ser motivado por erros percebidos ou transgressões cometidas por seu parceiro. Uma mulher ou homem casado que sabe que seu cônjuge teve um caso com um colega de trabalho pode então responder entrando em um relacionamento extraconjugal próprio. Às vezes, a pessoa casada infiel vê a traição em resposta à traição anterior como 'acertar o placar' ou se vingar de seu cônjuge que a magoou.

Fonte: pexels.com

Raramente trapacear por causa da vingança gera resultados positivos ou 'até mesmo o placar', como alguém pode estar tentando fazer inicialmente e provavelmente apenas fortaleceria o terreno para o divórcio. Como diz o velho ditado, dois erros não fazem um certo.

Puro Narcisismo

O Business Insider cita o narcisismo como mais uma causa de infidelidade ou adultério. Um casamento feliz, gratificante e até emocionante não é suficiente para um narcisista. Se são narcisistas, a mulher ou o homem casado se sente compelido a ser amado, desejado e desejado por mais do que apenas seu marido ou esposa. Portanto, o cônjuge narcisista pode procurar amantes extraconjugais ou simplesmente trair seu parceiro quando surge a oportunidade.

Os narcisistas têm a tendência de trazer à tona os aspectos mais sombrios da sexualidade humana e são considerados infames como trapaceiros e pessoas infiéis que parecem tropeçar no terreno do divórcio. Essas pessoas tendem a se sentir como se as normas sociais, como monogamia e paternidade, estivessem abaixo delas. Os narcisistas se consideram superiores aos outros e acreditam que as regras são para outras pessoas e que são imunes às consequências, como punição social por adultério. A dinâmica de dar e receber que ocorre inerentemente no casamento muitas vezes é demais para um narcisista e pode levá-los a sentir que estão perdendo o controle sobre o casamento. Essa perda percebida pode levar o narcisista masculino ou feminino a trair seu cônjuge; em sua mente distorcida, eles estão 'recuperando' o controle e o poder do casamento.

Falta de satisfação sexual

O adultério às vezes é motivado pela falta de satisfação sexual no casamento atual da pessoa que traia. A mulher ou o homem casado podem amar genuinamente seu cônjuge, mas traí-los porque acreditam que seu amante extraconjugal pode satisfazê-los de uma maneira que sua mulher ou homem casado não consegue.

Muitas pessoas contestaram a outra causa potencial de adultério, afirmando que um homem ou mulher que realmente ama seu cônjuge nunca poderia traí-los. No entanto, a validade dessa alegação permanece altamente discutível. No entanto, maridos e esposas sexualmente insatisfeitos, de fato, traíram seus cônjuges. Cada pessoa sabe se ama seu cônjuge.

Apaixonando-se / Apaixonando-se por Outra Pessoa

Fonte: pexels.com

Embora se apaixonar por um amante extraconjugal seja aparentemente raro, pode ocorrer e ocorre. Às vezes, o cônjuge traidor conhece outra pessoa fora do casamento e sente que ele e a outra pessoa têm uma conexão. Às vezes, o marido ou a esposa infiel vê a intimidade emocional ou sexual como & rsquo; amor & rsquo; especialmente se esses sentimentos faltaram no casamento.

No final das contas, a única pessoa que sabe se ama outra pessoa é ela mesma. Em alguns casos, os maridos ou esposas deixaram seus casamentos atuais para buscar relacionamentos mais saudáveis ​​com seus amantes. Às vezes, esses relacionamentos funcionam e outras vezes não. No entanto, apaixonar-se por outra pessoa ou simplesmente desapaixonar-se pelo cônjuge pode incentivar o cometimento de adultério, muitas vezes como um meio de dar ao parceiro terreno para o divórcio.

Exposição a outros trapaceiros

Um estudo um tanto surpreendente citado pela Fox News afirma que os filhos de pais que tiveram casos amorosos são mais propensos a trair seus futuros cônjuges, mesmo que tenham testemunhado seus pais receberem algum tipo de punição por adultério. Claro, isso não quer dizer que todas as crianças com pais que estão envolvidos em casos amorosos se tornarão trapaceiros. No entanto, o ambiente de uma pessoa impacta significativamente seus valores, crenças e escolhas mais tarde na vida. A decisão de participar do adultério depende, em última análise, de cada pessoa; no entanto, a exposição a adúlteros pode tornar a pessoa mais propensa a cometer o ato por conta própria.

Adultério e raiva

Quando um parceiro se envolve em adultério, a outra pessoa no relacionamento pode ficar com raiva. Imagine que seu cônjuge tenha um relacionamento sexual com alguém além de você. Você pode ficar preocupado com a ideia de que seu parceiro teve relações sexuais com outra pessoa. É uma coisa horrível de se imaginar. Você quer acreditar que seu parceiro só deseja você. Quando você sabe que eles tiveram relações sexuais com outro indivíduo, você questiona sua realidade. Quando você se casou, entendeu que você e seu parceiro só teriam relações sexuais juntos. Se seu cônjuge viola essa regra, isso é considerado adultério. Todos os tipos de pensamentos podem passar por sua mente. Você pode estar com raiva porque se sente traído. Seu ego pode ser afetado. Você pode se perguntar por que seu parceiro mantém relações sexuais com outra pessoa. Você pode questionar se ainda é atraente. O fato de eles terem relações sexuais com outra pessoa não significa que você não seja atraente. Eles procuraram ter relações sexuais com outro indivíduo por causa de seus problemas; não tem a ver com você. Você tem o direito de ficar zangado com o que seu parceiro fez. Sua raiva é válida, mas tente não personalizar suas ações. Eles cometeram adultério por causa de seus próprios problemas.

Conflito Religioso e Adultério

Adulterium latino significa 'contaminação'. Se você pensar sobre isso, você está manchando um casamento ao cometer o ato de adultério. A definição de adultério do Merriam Webster é 'relação sexual voluntária entre uma pessoa casada e alguém que não seja o seu cônjuge ou parceiro atual'. Há muita menção de comportamento adúltero no Judaísmo e no Cristianismo. Se você é uma pessoa religiosa, sabe que o adultério viola um dos dez mandamentos. Seu outro significativo teve relações sexuais com outra pessoa. De acordo com o Cristianismo e o Novo Testamento, eles violaram um dos dez mandamentos. Ter relações sexuais com alguém além de seu cônjuge é considerado adultério. Nos dez mandamentos, diz: 'Não cometerás adultério.' Há muitos lugares na Bíblia onde Jesus Cristo se refere ao adultério como um pecado. É uma declaração clara: 'Não cometerás adultério'. O mandamento é dizer ao leitor para ser fiel ao seu parceiro. Não há ambigüidade aqui. A Bíblia valoriza a santidade do casamento. Na verdade, há uma passagem do livro de Mateus, onde Jesus Cristo afirma que até mesmo olhar para outra mulher de forma lasciva é considerado adultério. Em Mateus 5:32, Jesus diz: 'Aquele que repudiar sua mulher, salvando. Por causa de fornicação, faz com que ela cometa adultério: e. qualquer que casar com a divorciada comete adultério. ' De acordo com Jesus e o dicionário bíblico, adultério e fornicação estão ligados. Isso significa que ter relações sexuais com alguém que não é seu cônjuge é o que define o comportamento adúltero. Embora a Bíblia seja clara: 'Não cometerás adultério', muitas pessoas ainda se envolvem no ato, independentemente de opiniões ou valores religiosos. Muitas pessoas mantêm relações sexuais fora do casamento e isso prejudica o relacionamento de forma irreparável. Quando você comete adultério, muitas pessoas são feridas por essas ações. Ter relações sexuais fora do casamento pode parecer uma ideia excitante na época, mas no final das contas não vale a pena. Existem consequências para suas ações.

As consequências

O adultério acontece em todas as sociedades. A maioria das culturas considera o adultério moralmente errado. Em algumas religiões, as pessoas são condenadas à pena de morte por cometerem o crime. Não há conversa criminosa em que se questione se o adultério é crime ou não. O adultério é proibido de acordo com o sétimo mandamento: 'Não cometerás adultério'. Além do cristianismo, os muçulmanos proíbem as relações sexuais fora do casamento. O Alcorão é contra o adultério. Afirma que o ato é 'uma ação vergonhosa e má'. No hinduísmo, o relacionamento conjugal é honrado e sagrado. O adultério viola isso. O budismo diz que o adultério promove sofrimento e prejudica a pessoa que o cometeu e o cônjuge. Antigamente, os adúlteros eram condenados à morte por sua transgressão em algumas religiões. O crime de adultério foi e ainda é levado a sério. Hoje em dia, cometer um ato adúltero não leva você a ser condenado à morte, mas provavelmente terminará em divórcio. As pessoas que são infiéis geralmente não recebem a confiança de seus parceiros após essas transgressões. Muitas religiões consideram o adultério uma base para o divórcio.

Adultério e divórcio

Se você ou seu cônjuge tiverem relações sexuais com outra pessoa ao lado do outro, isso pode levar ao divórcio. A lei do divórcio que ditaria o processo de divórcio varia de estado para estado. O adultério não é motivo para o divórcio em alguns estados, mas em outros. Não é uma conversa criminosa, mas civil. De acordo com um dicionário jurídico, para que o ato seja considerado adultério, você precisa ter relações sexuais com alguém fora do seu casamento. Pensar em ter relações sexuais com alguém fora do relacionamento conjugal não conta como adultério. É importante saber que sobreviventes de violência sexual não cometeram adultério. Para que o crime de adultério seja cometido, você precisa manter relações sexuais consensuais com outra pessoa que não seja seu cônjuge. É importante observar que o adultério requer relação sexual consensual. Lembre-se de que a definição Merriam Webster afirma que o adultério é 'voluntário'. Muitos sobreviventes de violência sexual se culpam por seus traumas. E eles podem acreditar que traíram seus parceiros, mas isso não é verdade. Uma pessoa que comete adultério o faz consensualmente e voluntariamente. Não há adultério acidental. Uma pessoa que comete adultério o faz com propósito e deseja trair seu cônjuge. Eles se envolvem em atos sexuais consensuais com alguém fora do casamento. É um ato deliberado de infidelidade sexual. Se você decidir cometer adultério, está se envolvendo em um comportamento de risco. Envolver-se no ato de relações sexuais fora do casamento pode resultar em consequências desastrosas.

Trabalhando com Honestidade em Seu Casamento

Uma mulher e um homem casado que desejam resolver as coisas podem fazê-lo na terapia. O relacionamento entre marido e mulher pode ser salvo se as duas pessoas estiverem dispostas a serem honestas uma com a outra. Nos Estados Unidos, não vemos o uso da pena de morte para o adultério. O que vemos são casamentos desfeitos e ressentimentos. O adultério não é uma conversa criminosa, é uma conversa emocional. Uma mulher e um homem que sofreram adultério no casamento podem superar isso se estiverem dispostos a falar sobre isso de maneira honesta. Um dos parceiros teve relações sexuais com alguém fora do casamento e isso magoou o cônjuge. É importante não criticar seu cônjuge por cometer adultério. Não converse sobre criminosos, mas concentre-se em como superar essa violação de confiança. Se você é religioso ou não, o adultério é prejudicial. As palavras 'não cometerás adultério' foram gravadas na mente de muitas pessoas.

Sabemos que ter relações sexuais consensuais com alguém fora do casamento é moralmente errado. Mas muitas pessoas se envolvem neste comportamento e às vezes não há consequências. Há momentos em que um dos cônjuges se safa e o outro nunca sabe. Se você descobrir que seu parceiro teve relações sexuais com outra pessoa, pode ser devastador, mas a terapia pode ajudar.

Como a terapia pode ajudar

O adultério é uma traição. Quando você descobre que seu cônjuge te traiu e teve relações sexuais com outra pessoa, é doloroso e você pode ter muitos sentimentos. Você pode estar com raiva, deprimido, magoado ou frustrado. Estas são apenas algumas emoções que podem passar pela sua mente. Um profissional de saúde mental licenciado o ajudará a lidar com essas emoções. Não é tão simples como 'não cometer adultério'. Alguém se envolveu neste crime e feriu o outro parceiro. Eles tiveram relações sexuais com um indivíduo, não em seu casamento e, como resultado, o relacionamento corre o risco de terminar. Um conselheiro de casais pode ajudar os dois parceiros a entender por que o adultério ocorreu e ver se há alguma esperança de salvar o casamento. É importante notar que só porque alguém teve relações sexuais com alguém fora do casamento, isso não significa que está apaixonado por essa pessoa. As pessoas traem seus parceiros por vários motivos. Eles podem ter tido relações sexuais com alguém fora do casamento porque seu relacionamento com o parceiro carecia de intimidade. Então, eles se desviaram do casamento e tiveram relações sexuais com outra pessoa. Lembre-se de que o conselheiro de um casal está aqui para ajudá-lo. Eles viram casamentos em estados terríveis. Seu terapeuta pode ajudar você e seu parceiro a entender por que as relações sexuais aconteceram fora do casamento e o que fazer em seguida.

Uma palavra final

Embora as causas potenciais e prováveis ​​do adultério sejam abundantes, isso não torna o ato menos prejudicial ou prejudicial. Muitos casamentos sofreram muito ou até mesmo terminaram devido à falta de fidelidade de um ou de ambos os cônjuges, pois isso fornece amplos motivos para o divórcio. Apesar da desaprovação geral da infidelidade no casamento, muitas pessoas aparentemente cometem adultério por seus motivos. Como resultado disso, algumas pessoas sugeriram que as expectativas de monogamia são irrealistas. No entanto, outros se opuseram fortemente a essa afirmação.

Cada um de nós encontrará adversidades ou dificuldades em nossos relacionamentos e casamentos. No entanto, o que em última análise faz a diferença é como escolhemos lidar com eles. Existem muitas alternativas produtivas ao adultério, incluindo falar com seu cônjuge, ir a aconselhamento de casais ou sentar-se com um profissional para uma sessão individual

Fonte: pexels.com

A vida está cheia de desafios e dificuldades. Às vezes, o melhor curso de ação é fazer uma pausa, refletir e pensar cuidadosamente sobre o próximo passo a ser dado. Tomar decisões no calor do momento raramente é uma boa ideia e muitas vezes gera dificuldades, incluindo punição social por adultério.

Aqui na ReGain, temos orgulho de ter os melhores profissionais licenciados para fornecer aconselhamento e terapia de alta qualidade. Buscar ajuda sempre deve ser reverenciado como um sinal de força, não de fraqueza. Em última análise, a decisão é sua, mas se alguma vez se sentir inclinado a entrar em contato com a ReGain por qualquer motivo, você pode fazê-lo clicando aqui.

Perguntas frequentes (FAQs)

O que é considerado adultério?

A definição legal de adultério de acordo com a maioria dos sistemas de direito da família é 'relações sexuais consensuais quando um dos participantes é legalmente casado com outro'. Colocado de forma menos arcaica, a definição de adultério é quando um homem ou mulher casada tem alguma variação de relação sexual com alguém que não é seu cônjuge.

Isso é muito importante em estados de divórcio por culpa. Um estado de divórcio por culpa é um estado que exige um fundamento para o divórcio - como um dos indivíduos sendo pego em adultério. Embora a maioria dos estados não use o sistema de divórcio por culpa, cometer um ato de adultério provavelmente dará ao seu cônjuge a vantagem no tribunal, independentemente de tal coisa estar ou não explicitamente declarada na lei da família do seu estado.

O que é adultério na Bíblia?

O pecado do adultério é mencionado na Bíblia, mas a maneira como o termo adultério foi usado na Bíblia pode não abrigar exatamente a mesma definição que vem à mente quando muitos de nós pensam na palavra & ldquo; adultério & rdquo; Em seu valor nominal, a Bíblia tem uma definição ampla e implacável de adultério, junto com alegorias que contêm punição brutal para adultério. Sim, coincide com o legal porque inclui relações sexuais fora do casamento, mas também inclui 'pensamentos maus', que podem ser tão simples como a tendência de um homem ou mulher cobiçar outro antes do casamento. Além disso, se uma mulher casada se divorcia de seu marido e se casa com outro homem, então, de acordo com a definição bíblica, ela cometeu adultério. Também é importante notar que é o único motivo perdoável para o divórcio. Em suma, qualquer forma de imoralidade sexual, pelo menos de uma perspectiva judaico-cristã, é adultério, de acordo com a Bíblia.

É importante notar que a Bíblia, pelo menos retoricamente, parece apelar para um padrão duplo na maneira como fala sobre adultério ou discute o adultério. Em geral, tende a colocar mais responsabilidade no homem casado, mas contém mais anedotas sobre punição por adultério em que a mulher casada é quem cometeu adultério. Muitas pessoas criticaram essa tendência retórica da Bíblia e acusaram-na de reforçar o duplo padrão pelo qual vemos a sexualidade humana.

Existem citações da Bíblia relacionadas ao adultério. Por exemplo, nos provérbios 6:32 se lê: & ldquo; quem comete adultério com uma mulher é falto de entendimento: quem o faz destrói a sua alma. & Rdquo; Há também uma passagem famosa na Bíblia chamada, & ldquo; Jesus e a mulher apanhada em adultério. & Rdquo; [João 7: 53-8: 11.] & Ldquo; Jesus e a mulher apanhada em adultério & rdquo; também é referido como & ldquo; A passagem da mulher apanhada em adultério. & rdquo; Outras palavras simplistas e mais comumente referenciadas ao adultério, relacionadas na Bíblia, são Êxodo 20:14, que diz simplesmente: 'não cometerás adultério'. Aqui estão algumas outras palavras da Bíblia relacionadas ao adultério:

“O homem que comete adultério com a mulher de outro homem, sim, aquele que comete adultério com a mulher do próximo, o adúltero, e a adúltera certamente serão condenados à morte”. [Levítico 20:10]

& ldquo; Digo-vos que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela. & rdquo; [Mateus 5:28]

O que acontece quando você comete adultério?

Em primeiro lugar, o que tende a acontecer quando alguém comete adultério é que seu parceiro se sentirá muito magoado e traído. É importante saber que, se você cometer adultério, não estará apenas piorando as coisas para si mesmo, mas também para seus entes queridos.

Em segundo lugar, é importante lembrar que o cônjuge que cometeu adultério é o motivo mais comumente citado para o divórcio, tanto nos casos de divórcio culpado como em outros casos. Quer esteja escrito na lei da família do seu estado ou não, você provavelmente terá a mão inferior nos processos judiciais se for culpado de adultério, pois aqueles que cometem adultério tendem a ser menos populares aos olhos do júri.

Em terceiro lugar, em muitos estados, o adultério é ilegal. A punição por adultério em tais estados varia de multas a pena de prisão. Fora dos Estados Unidos, a punição por adultério, principalmente de mulheres, é muito mais comum. Em alguns países, um caso de adultério pode ser punido com pena de morte. Por lei, o adultério é crime em vários locais, mas só é punível com pena de morte em alguns países como Sudão, Afeganistão, Irã e Iêmen. Os acusados ​​de adultério que foram estuprados terão que fornecer prova da agressão para evitar a pena de morte em alguns países, o que significa que aqueles que foram agredidos mas não podem provar isso podem perder suas vidas à pena de morte. A pena de morte não é usada para adultério nos Estados Unidos e na maioria dos outros países; mesmo em áreas onde, por lei, o adultério é crime.

Para dizer o mínimo, quando você comete adultério, você deve esperar uma deterioração de suas relações intraconjugais e uma desvantagem no tribunal de família. No entanto, em países como os Estados Unidos e Canadá, você não enfrentará a pena de morte como infelizmente acontecerá em outras áreas. As áreas que criminalizam o adultério nos Estados Unidos incluem, mas não estão limitadas a Michigan, Utah, Illinois, Idaho, Flórida, Minnesota, Dakota do Norte, Oklahoma, Carolina do Sul, Kansas, Mississippi, Nova York, Wisconsin, Alabama, Arizona e Geórgia. Muitos estados que atualmente criminalizam o adultério estão considerando ou esperam fazer com que o adultério não seja mais um crime legal. Além disso, em alguns países, como a Índia, por lei, o adultério não é mais um crime. Em áreas onde por lei o adultério não é necessariamente punível, o adultério é simplesmente um motivo provável de divórcio ou uma batalha feia em um relacionamento. É inegavelmente doloroso quando o cônjuge de uma pessoa sai da sociedade. Colocando em palavras simples, o adultério e a traição são conhecidos por prejudicar os relacionamentos. Em estados como Utah, entretanto, pela lei comum, o adultério envolve sérias consequências. Um criminoso de adultério ou alguém que se envolve em conduta adúltera enfrentará uma contravenção criminal no estado de Utah depois que o caso de adultério for provado. Alguém condenado por adultério, que pode ser processado por adultério ou que comprovadamente se envolveu em adultério pode enfrentar uma sentença de até noventa dias de prisão.

Observe que o envolvimento sexual voluntário do adultério com mais de uma pessoa quando consentido de ambos os lados (ou em um relacionamento aberto) e o poliamor são coisas muito diferentes. O contato sexual voluntário do adultério com alguém fora do relacionamento sem consentimento e situações semelhantes é trapaça, ao passo que relacionamentos abertos consensuais ou relacionamentos com múltiplos parceiros com regras acordadas não o são. Os relacionamentos abertos costumam ser muito saudáveis ​​e dependem da comunicação, assim como todas as outras parcerias. Nessas parcerias, todos os envolvidos devem estar informados e satisfeitos com as circunstâncias do relacionamento discutidas e acordadas coletivamente.

Você tem que ser casado para cometer adultério?

O adultério, na definição do dicionário, é, novamente, 'relação sexual voluntária entre uma pessoa casada e alguém que não seja o seu cônjuge ou parceiro atual'. Dito isso, de acordo com a definição legal de adultério, que tende a ser algo na linha de & ldquo; infidelidade conjugal & rdquo ;, não.

As definições de adultério ou as definições de adultério variam. No entanto, coloquialmente, o termo adultério pode ser aplicado a relações fora de qualquer relacionamento monogâmico - seja um casamento ou um casamento mais casual. É claro que a relação sexual entre uma pessoa casada e uma pessoa solteira seria inerentemente adúltera para os casados. Portanto, embora você não possa cometer adultério se não for casado e tiver relações sexuais com uma pessoa casada, você está participando de um ato adúltero. Não seja a pessoa que dará ao casamento uma base para o divórcio de outra pessoa, ou ajude-a a se tornar alvo de algum tipo de punição por adultério!

O adultério é um flerte?

Novamente - a definição coloquial de adultério é bastante elusiva, portanto, se alguém que flertou cometeu adultério ou não, depende francamente de seu marido, esposa ou parceiro. Mesmo assim, pode ser motivo de divórcio ou de divórcio para algumas pessoas. Alguns casais optam por trabalhar com comportamentos de flerte e até adultério, enquanto outros decidem cortar os laços. As especificidades de como um relacionamento se desenvolve após esses comportamentos dependerão do casal único, de suas opiniões e de seus desejos.

Dito isso, na maioria dos estados, a definição legal de adultério tende a se referir ao comportamento sexual explicitamente. Portanto, é improvável que você tenha cometido adultério do ponto de vista do direito da família, a menos que tenha participado de alguma forma de atividade sexual como homem ou mulher casados. De modo geral, lugares que proíbem o adultério têm termos que constituem adultério para incluir qualquer forma de contato sexual, atividade ou comportamento do cônjuge adúltero.

Lembre-se de que em estados que proíbem o adultério ou em estados que proíbem o adultério, as punições que constituem adultério podem variar e você pode enfrentar sérias repercussões se processado por adultério. Além disso, mesmo em áreas onde, por lei, o adultério não é um crime, os acusados ​​de adultério podem ser menos favorecidos em certas situações. Ser acusado de adultério ou ser cônjuge adúltero não é algo que você deseja, seja por lei o adultério uma ofensa criminal em sua área ou não.

Qual é a diferença entre fornicação e adultério?

Em termos modernos, fornicação se refere a qualquer tipo de atividade sexual antes do casamento, ao passo que cometer adultério é praticar sexo extraconjugal voluntariamente.

No entanto, de acordo com a definição de adultério que obtemos da Bíblia, muitas expressões da sexualidade humana podem ser descritas como cometendo adultério, portanto, um indivíduo que é culpado de fornicação seria considerado culpado de adultério. O adultério não é mais definido dessa forma por muitas pessoas e grupos.

A fornicação é comum o suficiente na sociedade moderna que certamente é considerada muito menos repreensível moralmente do que a decisão de cometer adultério. Isso se reflete no fato de que a definição moderna de adultério é muito mais específica e não inclui fornicação. No entanto, quando há filhos envolvidos, certos sistemas de direito da família podem ser mais fáceis de navegar para casais. No entanto, não há punição para fornicação nos Estados Unidos que se compare à punição existente para adultério em alguns estados.

Namoro durante o divórcio é adultério?

Legalmente falando, isso depende da fase em que se encontra o divórcio. Se o casal ainda não se divorciou legalmente, seria pela definição legal de adultério. Além disso, se o divorciado é quem está namorando, isso poderia fortalecer os divorciados & rsquo; motivo de divórcio, independentemente do regime de direito da família. Nos estados em que existe uma punição legal para o adultério, essa pode ser uma espécie de área cinzenta.